Coffee Valore

Logo_coffee

Café Orgânico

A produção de café orgânico é uma ótima alternativa no que diz respeito aos aspectos, econômico, social e ambiental.

No aspecto econômico, ele é capaz de agregar mais valor ao produto final.

Além disso, seu processo de produção não contamina o meio-ambiente e nem as pessoas que estão diretamente ou indiretamente envolvidas no processo.

Café Orgânico - Coffee Valore
Foto de Engin Akyurt no Pexels

O que é Café Orgânico

O café orgânico é o café produzido sem a utilização de agrotóxico ou adubos químicos.

Em outras palavras, no seu manejo utiliza-se matéria orgânica, fertilizantes e adubos verdes. Os pesticidas são de origem animal ou vegetal.

Nesse sentido, esse tipo de manejo é capaz de melhorar as condições físicas, químicas e biológicas do solo.

Em outras palavras, o manejo do café orgânico traz equilíbrio para o solo e para as plantas, produzindo plantas mais resistentes às pragas e doença.

Produção de café orgânico no Brasil

Embora sejamos os maiores produtores de café do mundo, isso não se aplica no caso da cafeicultura orgânica.

No que diz respeito à produção mundial, apenas 8% de todo o café produzido é orgânico, ocupando 770 mil hectares.

O Brasil ainda se encontra distante dos principais países produtores de café orgânico: México, Etiópia e Peru.

Entretanto, a produção de café orgânico tem grande potencial de crescimento no Brasil, principalmente para a agricultura familiar e no modo de sistema de cooperativas.

A maioria do café orgânico produzido no Brasil é exportada para os Estados Unidos, Europa e Japão.

Internamente, o seu consumo de ainda é baixo, mas tende a crescer devido ao crescimento da demanda por cafés diferenciados, especial e com certificados de origem.

Igualmente, O café orgânico atende a consumidores exigentes. Eles desejam consumir uma bebida que, ao ser produzida, respeita os indivíduos e o meio-ambiente.

Um pouco de história

No ano 2000, houve uma crise do café convencional e muitos produtores passaram a produzir o café orgânico.

Esses produtores foram atraídos principalmente pela possibilidade de vender seus produtos por um preço mais alto.

O país chegou a produzir até 300 mil sacas por ano de café orgânico entre os anos de 2002 a 2004.

Entretanto, havia falta de conhecimento a respeito de manejo de solo, pragas e doenças, dentre outros, aliada à falta de investimento em qualidade de pós colheita.

Isso causou redução na produtividade das lavouras e o café, com qualidade média, foi difícil de vender.

Desta forma, assim que o café convencional obteve melhores preços, a partir de 2004, muitos produtores voltaram ao sistema convencional.

Somente permaneceram firmes na produção de café orgânico aqueles produtores possuíam boas técnicas de produção e bebida de ótima qualidade.

Esses produtores que permaneceram no mercado também tinham fortes princípios ecológicos, boa remuneração pelo produto, boa produtividade e custo razoável.

História do Café Orgânico - Coffee Valore
Foto de Pexels

Com isso, a produção anual de café orgânico no Brasil caiu para 70 a 80 mil sacas, entre 2005 e 2013.

Dados do ano de 2020 apontam que a produção tem variado entre 80 e 100 mil sacas de café orgânico por safra, num total de cinco mil hectares cultivados.

Característica da produção orgânica de café no Brasil

O café orgânico brasileiro é produzido, em sua maioria, a pleno sol e com pouca biodiversidade.

Dessa forma, os países que produzem café orgânico em sistemas sombreados criticam essa ausência de biodiversidade.

Principais desafios

A produção de café orgânico encontra alguns desafios, especialmente no que dia respeito a fatores como:

Adubação nitrogenada e nutrição;

Manejo do mato;

Manutenção de boas produtividades;

Falta de investimento em pós-colheita.

A adubação precisa de uma fonte rica em nitrogênio e deve ser encontrado na natureza.

Ao contrário do que acontece com o potássio e o fósforo, não é possível encontrar nitrogênio disponível no mercado orgânico.

Existem outros desafios ligados à comercialização como a manutenção no mercado internacional, que exige combinação de escala, alta qualidade e boas cotações.

Além disso, o crescimento do mercado interno de produtos orgânicos é desigual entre os grandes centros e as cidades do interior. Isso pode acontecer por falta de oferta e por falta de conhecimento dos consumidores.

Para dar certo

Para a produção orgânica é necessário conhecer as espécies e os cultivares mais adequados, conforme a região em que se deseja produzir.

O café arábica adequa-se ao clima tropical de altitude, pois é originário das regiões montanhosas da Etiópia.

Sendo assim, umidade alta e temperaturas amenas, entre 19°C e 22°C são condições ideais para o seu desenvolvimento.

O café robusta adequa-se melhor a condições de temperatura mais elevadas, entre 22°C e 26°C. A espécie é originária de regiões equatoriais baixas, quentes e úmidas (Congo).

Orientações ACOB

A Associação de Cafés Orgânicos e Sustentáveis do Brasil (ACOB) elaborou uma lista de fatores que devem ser observados para obter sucesso na produção:

  • O cafeicultor deve estar atento às condições climáticas para que seja favorável ao cultivo e à qualidade do café;
  • Escolher a espécie mais adequada para a sua localidade;
  • Fertilidade do solo;
  • Disponibilidade de matéria orgânica;
  • Disponibilidade de mão-de-obra;
  • Presença de matas e biodiversidades;
  • Acesso a técnicas agroecológicas e inovadoras;
  • Acesso a técnicas de manejo pós-colheita.

Além disso, é muito importante que o produtor de café orgânico tenha aptidão para esse tipo de produção.

Para isso, o cafeicultor deve buscar ter uma visão ecológica e sistêmica, vontade de aprender, conhecimento técnico e mercadológico e, por fim, uma gestão responsável (familiar ou profissional).

Certificação orgânica

Na agricultura orgânica, o cultivo da terra é feito de modo a garantir a produção de alimentos sadios.

Isso quer dizer que toda a produção é feita sem o uso de produtos químicos tóxicos à saúde humana e dos animais.

Além disso, tem-se o cuidado de não contaminar a água, o solo e o ar.

Dessa forma, a agricultura orgânica é ecologicamente sustentável, economicamente viável, socialmente justa e culturalmente aceitável.

A certificação de produto orgânico requer inspeção técnica e adequação aos requisitos determinados.

Um dos requisitos para a certificação do café orgânico, no Brasil, é a inscrição no Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos.

Você encontra mais informações sobre a certificação de café orgânico e outras certificações para o café em nosso artigo “Certificação do café é importante para sua produção”.

Conclusão

Portanto, vimos, neste artigo, que o café orgânico é uma ótima alternativa de produção.

Mesmo em meio a desafios, suas características mostram que é possível produzir um café de qualidade, respeitando o meio-ambiente e cuidando da saúde das pessoas.

Seu crescimento no mercado cafeeiro é evidente e tende a crescer ainda mais.

Desta forma, o café orgânico, além de uma bebida de qualidade, atende as exigências de consumidores cada vez mais preocupados em consumir um produto que atende aos requisitos de sustentabilidade.